Tem mais O Cacique de todo o “Ramos”

Há 56 anos fazendo história e preservando a sua memória, o Doce Refúgio, vem consolidando a cultura nacionalmente e internacionalmente, por meio da disseminação e valorização do samba e de suas variáveis. É um grande legado que a Terra da Tamarineira vem deixando a cada dia de sua existência, e todo ele com o mesmo propósito, perpetuar a espécie.

Já com os ares do Carnaval, Bira Presidente convida a todos para fazer parte da Tribo do Samba, resgatando os grandes desfiles que arrastavam multidões. O Cacique de Ramos desfila por três dias consecutivos: no domingo, na segunda e na terça de Carnaval com um contingente de 3 mil pessoas que escolhem entre as alas de camisas, Eu sou Cacique, Cura Ressaca e Curumim ou tradicional índio que vem representado nas fantasias das seis alas expostas nos dias das rodas de samba.

Ainda sobre a roda de domingo, abrilhantaram o palco com as suas vozes os cantores Ribeirinho, Marcelo Negrão e Marcelo Salu, que contagiaram o público presente com um repertório para ninguém ficar parado.
O Cacique Maior, Bira Presidente, lamentou o falecimento de Antônio Pedro de Souza, o Russo, amigo, sambista que por muito tempo frequentou o Doce Refúgio com sua magistral alegria e o jeito alegre de quem sabia viver. Descanse em paz, grande Russo!

Veja mais fotos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CAPTCHA