Samba e Carnaval do Fundo de Quintal para avenida, a graça da vida, o Cacique de Ramos.

De volta ao sucesso, entre a massa de gente que ama o samba e o reconhecimento da imprensa, o Cacique de Ramos pode mostrar novamente seu valor, e quanto é grande seu acervo de bambas que ganharam fama e prestigio.
Num projeto audacioso, que inclui gastronomia e boa musica e uma Comenda Comemorativa, personalidades foram se reaproximando do Doce Refugio, e eis que de homenagem em homenagem, passou a homenageado. Entre tantas, a mais emblemática foi realizada pela Estação Primeira de Mangueira,. Para  não perder a viagem a Tribo do Samba também prestou homenagens A VERDE E ROSA.

A escola madrinha do bloco abriu caminho e vieram mais homenagens…

Cacique de Ramos em todas as passarelas do samba no carnaval 2016

Em 2016, tanto o Cacique Maior, Bira Presidente,  quanto o Cacique de Ramos serão homenageados por diversas agremiações. De blocos as Escolas de Samba, os índios do Carnaval serão lembrados, ou melhor, eternizados.

Na passarela da Estrada Intendente Magalhães onde passará a Arrastão de Cascadura a Tribo vai festejar. No Centro do Rio, a Banda do Lido, em Duque de Caxias, o bloco da Laureano. E na Marques de Sapucaí? Tem Cacique também, Bira Presidente entra em cena e mostra que é malandro com o Salgueiro, e como a lua quando clareia o terreiro é em forma de pandeiro, ele virá também na Estácio de Sá.
Para fechar o ciclo carnavalesco, ele, Bira, se transforma em Zeus, com o poder do raio mestre. O Zeus do Samba, na visão do carnavalesco André Cezari*,   que em tripla jornada faz o seu melhor carnaval. O pai da Nação Caciqueana, Bira – o presidente,  receberá a mais importante homenagem sendo tema do seu próprio Olimpo, o Cacique de Ramos.
De Embalo, de Rua, de Quintal, de Vida – O Cacique de Ramos reinará em mais um desfile, soberano. É, os índios enfrentarão a avenida. É a tribo invadindo a passarela. É ela a graça, a graça da aranha conquistada pelos índios. A graça da vida, da vida de graça que se engraça nos requebros das mulatas e no frenético pulsar da Bateria. É ela a  Graça Aranha nos três dias de alegria, de folia e do mais belo carnaval.
 Domingo, segunda e terça-feira gorda, a Tribo do Samba entra na passarela para mais uma vez ver brilhar seu Carnaval, e   para não deixar ninguém de fora.

 

*Andre Cezari integra a Comissão de Carnaval da Beija-flor de Nilópolis e assina o carnaval da Sociedade Rosas de Ouro em São Paulo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CAPTCHA