“Nem melhor, nem pior. Apenas uma escola diferente”. Salgueiro arrepia o Cacique de Ramos.

Tingido de vermelho e branco, o Cacique de Ramos, recebeu de braços abertos o time da Escola que é líder do ranking da Liesa, o Acadêmicos do Salgueiro. E, para fazer a diferença o time comandado por Regina Celi e pelo Vice-presidente Jomar Casemiro, esteve bem representando pelos seus diretores de harmonia, e a sua comissão, Siromar e Alda Anderson, pelos intérpretes Leonardo Bessa, Hudson Luiz e Tuninho Junior, pela Bateria Furiosa de Mestre Marcão, pelo casal de Mestre Sala & Porta-Bandeira, Sidcley e Marcela Alves, pela Ala das baianas de Tia Glorinha, pela velha-Guarda de Caboclinha e pelo time de passistas de Carlinhos do Salgueiro.

O trio de intérpretes da vermelho e branco da Tijuca, cantou, sacudiu e transformou o Doce Refúgio em um verdadeiro cadeirão rubro. O público respondia com êxito a cada Samba da agremiação e vibrava com o show dos segmentos que levaram ao delírio os amantes, torcedores e simpatizantes da Academia do Samba.

Como gestor, Bira Presidente, reconhecendo o valor da agremiação para a Cultura do nosso Brasil, junto com a sua Diretoria de Ouro e as suas Alas Reunidas, tiveram a honra de homenageá-la com o título mais importante da entidade, a Comenda Cacique, reconhecendo que de fato o Salgueiro é “Nem melhor, nem pior. Apenas uma escola diferente”.

Salgueiro/Meu torrão amado/Onde eu nasci/E fui criado/Quando eu morrer
Levarei comigo/Dentro do meu coração/Salgueiro querido/Salgueiro Berço do samba e do amor/Salgueiro/Tua beleza me inspirou/Salgueiro no samba/É uma tradição/Salgueiro/Mora no meu coração.

Torrão Amado (hino do Salgueiro)

Autores: Buguinho e Iraci Mendes dos Reis

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CAPTCHA