MANGUEIRA MAIS UMA VEZ INOVA NO CARNAVAL

Por Alexandra Silva para SUBÚRBIO CARIOCA

Considerada uma das mais tradicionais escolas de samba do Rio de Janeiro, a Estação Primeira de Mangueira inovou na escolha do samba enredo do carnaval 2012.

No último domingo, dia 03 de Julho, tomou conta da quadra do bloco carnavalesco Cacique de Ramos, com parte da bateria, passistas, mestre-sala e porta bandeira, velha guarda e tradicionais baluartes da verde-rosa, como o lendário Mestre Delegado, para o primeiro dia de eliminatórias de sambas enredos que tradicionalmente acontece nas quadras das próprias escolas. Ao completar cinqüenta anos de existência o Cacique de Ramos, além de ser tombado como patrimônio cultural do Rio de Janeiro será homenageado pela verde-rosa, sendo tema do enredo que a estação primeira levará para a avenida, ao todo foram nove sambas que concorreram neste primeiro dia. Segundo a assessoria do bloco, acontecerá por mais quatro domingos, dia da tradicional roda de samba do bloco.

 
De acordo com o presidente da Mangueira, Ivo Meireles, esta é mais uma atitude vanguardista da escola e que pretende ser seguido por outras agremiações: “A Mangueira é vanguarda. Apesar de ser considerada tradicional. Ela é tradicional sim, mas ela inova a cada ano”.
As duas agremiações carnavalescas são consideradas celeiros do samba carioca, juntas elas viram surgir em suas quadras nomes como: Arlindo Cruz, Almir Guineto, Grupo Fundo de Quintal, Beth Carvalho, Cartola, Nelson Sargento, Xangô da Mangueira, entre outros. Para Ubirajara Félix, o Bira Presidente, presidente do Cacique, a emoção de ser homenageado assim é indescritível: “É um momento de muita felicidade. Só tenho que agradecer a Deus, por ter me dado a oportunidade de passar por um momento deste, tão importante para o samba carioca”, falou emocionado.

 
Quando duas grandes tradições do samba se juntam, a festa é certa. Durante toda tarde de domingo o bairro de Olaria, onde fica a quadra do Cacique de Ramos, presenciou a união do verde-rosa e do preto, vermelho e branco que resultou numa belíssima festa. Após o resultado dos cortes dos sambas, os dois grupos se reuniram no centro da quadra, onde os componentes carregavam os estandartes das agremiações, cantando seus tradicionais sambas exaltação, acompanhados pelas senhoras da velha guarda da Mangueira e do Cacique, que sambavam com toda vitalidade que o samba proporciona a aqueles que se deixam levar por ele. A felicidade era geral, a música e o amor ao samba davam o tom daquela tarde inesquecível para o carnaval do Rio de Janeiro e que promete se repetir por mais alguns fins-de-semana.

 

{qtube vid:=00LHHczWNxI}

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CAPTCHA