De geração a geração o Cacique de Ramos é pura manifestação da arte do samba.

Tradição de geração a geração, o Cacique de Ramos mantém com autenticidade e grandeza sua cobiçada Roda de Samba, onde representantes da atualidade e da antiga promovem um encontro do passado com o presente do Samba de Raiz. A exemplo deste domingo, que teve  Ribeirinho, Rafael Bezerra, Marcelo Negrão,  Luiz Caffé, Anderson da Gameleira e Diogão, neto de Noca da Portela e o mestre, Cléber Augusto, ex- grupo Fundo de Quintal. Compositor e violonista, Cleber é autor de obras de grande sucesso no país inteiro que ecoaram na voz do grupo Fundo de Quintal,  e de tantos outros artistas que expressam a sensibilidade e beleza de suas letras.

Bira Presidente subiu ao palco para reverenciar a comunidade caciqueana que ilustra o livro da história do samba e enriquece a cada dia a própria história do Cacique de Ramos.
_ São vocês que fazem meu coração bater mais forte e em ritmo de samba! Digo isso e repito por muitas vezes, pois é com grande orgulho que mantemos esta casa de cultura, onde prevalece a verdadeira Raiz do Samba. E esta raiz é forte e capaz de se renovar e transformar vidas, como fez com os diversos nomes que temos na musica e nas artes deste nosso imenso Brasil. E muitos deles passaram por aqui, embaixo das Tamarineiras. Elevaram o samba ao patamar que está com talento e muita luta, mas é isto  que  me move, comove e me deixa feliz.

Veja mais fotos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CAPTCHA