Cacique e Mangueira um só coração

Para não perder a tradição, Bira Presidente e a Diretoria de Ouro, preparou uma homenagem neste dia especial para abrilhantar a festa ainda mais. Nesta edição, a agraciada foi à campeã dos desfiles do Grupo Especial do Carnaval Carioca e madrinha do bloco carnavalesco, a Estação Primeira de Mangueira.
Por motivos excepcionais, o Presidente Chiquinho da Mangueira, não compareceu ao evento para receber a máxima condecoração concedida pelo Cacique de Ramos a seus homenageados, a Comenda Cacique, fato lamentado por Bira Presidente que recepcionou os segmentos representativos da agremiação: a Bateria da Mangueira do Amanhã comandada pelo diretor Rodrigo Explosão, diretores de harmonia, carnavalesco, Porta-bandeira e Mestre-sala, baianas, velha guarda e rainha de Bateria. A pioneira do Carnaval do Rio sacudiu o Doce Refúgio com a sua marca registrada, revivendo sambas antológicos da escola mais querida do planeta.   
Na hora do tributo, o Cacique Maior do Templo Sagrado do Samba, Bira Presidente, foi só elogios a Madrinha.
“Essa bateria, com esse ritmo diferente, mexe com o coração de qualquer brasileiro. Símbolo do carnaval, em todas as épocas do Rio de Janeiro, e do nosso Brasil. Eu, como presidente do Cacique de Ramos, a minha diretoria de ouro, minhas musas, princesas, rainhas e alas reunidas nos sentimentos muito envaidecidos por mais uma noite significante para esta casa. O show tem que continuar, como diz o meu Grupo Fundo de Quintal. Porque estes momentos jamais vão passar despercebidos, não só por essa casa, mas, também por esse público maravilhoso que merece esta festa magnífica”, afirmou o Presidente. 
O carnavalesco campeão da verde-rosa, Leandro Vieira, agradeceu o reconhecimento:
“Em nome da Mangueira e do presidente Chiquinho, queria agradecer essa homenagem e dizer que a escola está muito feliz por esse reconhecimento, porque a Mangueira assim como o Cacique, representa o Carnaval do povo e a gente faz carnaval para o povo brincar”, disse ele.
O Grupo Quinteto Cacique, fruto da Tamarineira Sagrada, recebeu no palco o intérprete Ricardo Moreno que cantou sucessos da Musica Popular Brasileira, encerrando com chave de ouro mais uma noite de gala no Doce Refúgio.
No dia 11 de maio, depois do sucesso de Zeca Pagodinho e Beth Carvalho, o Cacique de Ramos e o Grupo Fundo de Quintal, vão receber em sua sede, o poetinha do samba: Jorge Aragão. Batizada como quarta-feira nobre, o evento tem a essência de resgatar as velhas e saudosas rodas de samba da Tribo do Samba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CAPTCHA