Cacique de Ramos, patrimônio cultural do Rio de Janeiro

“Samba, a gente não perde o prazer de cantar e fazem de tudo pra silenciar a batucada dos nossos tantãs”, mas o Cacique de Ramos é forte guerreiro, e luta há quase 60 anos em prol da cultura popular do nosso povo, que sofre em meio a tantos descasos e que tem aqui a oportunidade de descontrair, pular seu carnaval, sem criticar, sem esnobar, nem acabar com qualquer tipo de crença ou cultura. Nosso trabalho é sério, e dedicado a manter de forma tradicional o que temos levado há décadas pelas ruas do Rio de Janeiro durante tantos carnavais, e assim permaneceremos, pois “é bonito de se ver o samba correr pro lado de lá. Fronteira não há pra nos impedir. Você não samba, mas tem que aplaudir!”

Como não bastasse o carnaval, carregamos um nome, que tornou-se a Tribo que levou tantos outros nomes consagrados no meio do samba a serem reconhecidos por quem se tornaram. Pessoas que fizeram a história da cultura musical brasileira debaixo de nossas Tamarineiras. Rodas de samba que acontecem desde 1961 perduram até hoje, para que não falte entretenimento gratuito e de qualidade para o nosso público fiel e do qual recebemos sempre tanto apoio e carinho.

E assim mantemos nossa também Tradicional Feijoada com Roda de Samba, que neste último domingo, 16 de fevereiro, aconteceu no solo que é tão almejado por todos os sambistas. Como convidados de Bira Presidente e sua Diretoria de Ouro, recebemos Flávia Saoli, Dunga, Mistura Rica e o Grupo Voz Ativa. Além deles, recebemos também Leandro Sapucahy, Anderson Leonardo do grupo Molejo, Reis da Noite, Alexandre DMendes, Samba do Meu Amigo, Italo Costa, Meio Dia da Imperatriz e Vem Pro Meu Mundo, que foram agraciados com o Diploma Seja Sambista Também. E finalizamos a noite com a Bateria Tamarindo de Ouro do mestre Xula e Coelho, juntamente com a toda Corte Caciqueana.

No próximo domingo, como também segunda e terça-feira, colocaremos nosso Bloco na rua, pois é para o nosso desfile de carnaval que nos dedicamos com amor e dedicação durante o ano inteiro. A concentração será às 16h na Rua Almirante Barroso com Graça Aranha, no Centro do Rio. O desfile acontece na Av. Chile. Adquira sua camisa ou fantasia de uma das alas e venha desfilar conosco!

Cacique de Ramos é isso. É samba. É cultura. É tradição. É festa para todas as gentes, sem distinções ou preconceitos. Um patrimônio cultural não se cancela. E com isto, “este samba é pra você…” e pedimos respeito.

Fotos: Vanessa Perrone

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CAPTCHA