Cacique de Ramos celebra com júbilos seus 57 anos

Um dos pontos mais importantes da Cultura e tradição do Samba Carioca celebrou no último domingo, 21/01, com júbilos, os seus 57 anos de existência. A festa começou, às 13 horas, e reuniu uma legião de apaixonados e ilustres convidados, regado com muito Samba e Feijão, nos embalos do Grupo Voz Ativa que abriu a programação estreando o palco 360º.

De grande relevância para duas grandes e importantes vertentes, o Cacique de Ramos, contribui desde a sua fundação para a Música Popular Brasileira e para o Carnaval Carioca. Pela MPB, a revelação de vários artistas como Arlindo Cruz, Beth Carvalho, Almir Guineto, Mussum, Neguinho da Beija-Flor, Dudu Nobre, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Gabrielzinho do Irajá, entre outros. E para o Carnaval de forma emblemática, ele é o único Bloco que mantém a tradição desfilando por três dias de carnaval, há 57 anos, (domingo, segunda e terça-feira de Carnaval).

Com uma programação extensa para esse dia especial, o Doce Refúgio recebeu no seu mais novo palco 360º os pratas da casa Marquynhos Sensação, Gabrielzinho do Irajá, Gilsinho, Vitão, Renato da Rocinha e o G.R.M.B.C Bate Fundo, que na ocasião foi apadrinhado por Bira Presidente, pela musicalidade representativa nos 100 anos de Samba. Em sua apresentação o Grupo fez questão de cantar a música de trabalho, “Bate Fundo na Alma”, na qual o Cacique Maior faz uma participação especial.

A festa estava animada e ficou ainda mais excitante com a chegada de um dos homenageados, o versátil, competente e irreverente Milton Cunha que levou o público ao delírio com suas explanações e performance. Para ele, mais que merecido, Milton é cara do Carnaval, é a cara do Cacique, desse modo nada mais justo do que lhe conferir o título maior da Tribo do Samba, a Comenda Cacique. Bira Presidente aproveitou parta estender o convite para o competente cidadão Samba: Venha desfilar no Cacique de Ramos. Outro homenageado é um velho amigo dos tempos de fundação. Teteu José, amigo, sambista, bom jogador e amante do carnaval. Teteu é gente da gente. Faz parte da nossa história e não poderia faltar na festa. Para ele, da mesma forma o título com grande honra. A comenda Cacique.

Quem ganhou homenagem também foi Manu Farias. A bela morena cumpriu com grande competência e dedicação, a responsabilidade de representar o Cacique de Ramos, como uma nobre e soberana Rainha. Muito emocionada, Manu, agradeceu ao Presidente, a corte Caciqueana e ao público todo carinho conquistado.

Abrilhantando a festa, os integrantes do Grupo Fundo de Quintal, Sereno, Ademir Batera, Marcio Alexandre, Junior Itaguay, Vitão, Bira Presidente, além do empresário Andre Tomassini, comemoraram os 42 anos do Grupo, cantando e encantando o público que foram ao ápice de felicidade com os veteranos.

A canja ficou por conta do aniversariante Salgueirense, Dudu Botelho, da “Negona do Axé”, Margareth Mendes e Zana.

Muitos convidados especiais marcaram presença nesses 57 anos. O repórter, amigo Caciqueano, Fabio Judice, suas amigas e irmãs: Darlene Figueiredo, do Monobloco Denise Figueiredo – gerente de conteúdo do Multishow, e demais amigos que se encantaram com a vibração do local. Tivemos o carnavalesco da Ilha do Governador, Severo Luzardo, Carlinhos de Jesus, Janaína Diniz, filha de Leila Diniz, Helena Buarque, filha de Chico Buarque, a ex-rainha do Cacique, Evellyn Alves que por dez anos consecutivos reinou a frente da Bateria do Bloco, Alê Oliveira, do Canal Esporte Interativo, Marcelinho da Riotur, a Corte do Carnaval Carioca, além de tantos outros grandes amigos. Obrigado.

Devemos gratidão ao nosso público, vocês foram maravilhosos, que harmonia perfeita. Que dia histórico, mais um para o livro de vida do Cacique de Ramos.

Destacamos um agradecimento especial a Globo News, que levou ao vivo para o mundo a nossa festa, a nossa história. Ao jornalista, Marcelo Farias e a sua esposa Julia, do Portal Sambrasil pela cobertura do evento.

Salve o Cacique de Ramos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CAPTCHA