Cacique de Ramos em Verde e Amarelo

O Cacique de Ramos reuniu na 77ª edição da Feijoada de junho, quatro grandes combinações: Futebol, Samba, Feijão e cerveja gelada. O evento que é realizado todo terceiro domingo de cada mês, e é frequentado por sambistas de todas as regiões, brindou o público com uma programação especial: a transmissão do primeiro jogo do Brasil contra Suíça na Copa do Mundo.

Abrindo o evento às 13h, o Grupo Voz Ativa, tocou clássicos do samba de raiz. Em seguida, às 15h, entramos em campo com a nossa seleção com uma torcida em verde, amarelo e Cacique de Ramos. A emoção de cada Brasileiro foi registrada a cada jogada do nosso time, um verdadeiro mar de torcedores fanáticos pelo misto do que temos de melhor a paixão pelo Futebol.

Nem o empate de 1 x 1, fez com que o público perdesse o ritmo, após o jogo, dando continuidade ao evento o Grupo Voz Ativa seguiu no comando da Roda, dando em seguida, passagem para o Grupo Quinteto Cacique para receber os convidados dessa edição: Marquinho Sathan e Chacal do Sax.

Ele é carioca, nascido e criado no subúrbio, mais precisamente no Lins de Vasconcelos, depois de fazer parte do Grupo Fundo de Quintal apostou na carreira solo. Ele foi apadrinhado pelo Cacique de Ramos e por Bira Presidente. Ele é Jonathan Fernandes Vieira, conhecido como Chacal do Sax, que mais uma vez, embalou o público com o som especial de seu Saxofone de Ouro. Com talento de sobra para levar qualquer tipo de música no saxofone, o instrumentista atravessa uma gama de ritmos encantando a todos com a sua genialidade musical.

Conhecido desde os anos 80, Marco Antônio Costa Santos, conhecido como, Marquinho Sathan é cantor e compositor brasileiro de outrora Rodas de Samba. Colecionador de Discos de Ouro, o Sambista tem uma carreira pautada na aplicação, disciplina e organização somadas ao talento à força da voz e o brilhantismo do intérprete de talento poli dimensional que chega aos 24 anos de carreira com 10 CDs gravados e 28 participações em CDs e DVDs de de outros artistas, conquistando o reconhecimento do público que o consagrou através de sucessos de sambas, como “Falsa Consideração”, “Me Engana Que Eu Gosto” e “Pura Semente”.

No palco do Cacique de Ramos, Marquinho Sathan, não fez diferente. O autor de grandes clássicos do samba de raiz e pagode, é considerado uma das vozes mais bonitas do Samba, presenteou o público com o seu lema… “Sempre o melhor pro povo, já que nosso papo é samba!”. Então, sé é assim, samba neles!

Ausente por compromissos profissionais com o Grupo Fundo de Quintal, Bira Presidente, deixou a cargo da sua Diretoria de Ouro, da Corte Caciqueana e do seu “casting” a entrega da “Comenda Cacique” para o Sambista, que agradeceu todo o carinho, respeito, reconhecimento… dizendo se sentir honrado pelo tributo.

A “canja” desse domingo ficou por conta de Dilson Oliveira e da “chique de doer” Joanna Nascimento.

Registramos em nossa resenha o prazer de ver e saber de grandes relacionamentos e famílias se formando nos encontros das Rodas de Samba do Cacique de Ramos, é fatos, histórias, promessas inusitadas que acontecem e é sempre importante ressaltar esses acontecimentos por meio de registros fotográficos e apurados em nossa quadra através da nossa Diretoria.

Nesse domingo, encontramos o Marcio e a Cátia, ambos se conheceram durante uma Roda no Cacique de Ramos em 15 de setembro de 2014, a partir daí começaram um namoro, noivaram e casaram. O fruto veio… o pequeno Enzo, que vestia uma camisa personalizada como a do seu Pai, com os dizeres “Enzo no Cacique de Ramos”. Em seu depoimento seu Pai disse com grande êxito: “Ele é “Fruto do Cacique de Ramos”… a família estava comemorando 1 ano e 4 meses do curumim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CAPTCHA